10 mulheres pioneiras da fotografia nos séculos XIX e XX

10 mulheres pioneiras da fotografia nos séculos XIX e XX

ARTIGO@ALBERTODESAMPAIO
Neste Dia Internacional da Mulher destacamos algumas das fotógrafas pioneiras que fizeram história na virada do século por seu talento e pelo seu empenho em atuar num universo ainda predominantemente masculino. Colecionamos a seguir dez perfis de fotógrafas que marcaram época com seus registros e feitos impressionantes:

Alice Austen


Nascida em 1866, Austen foi uma fotógrafa americana amadora contemporânea de Alberto de Sampaio. Foi uma das primeiras mulheres fotógrafas a sair do estúdio e capturar imagens nas ruas dos Estados Unidos, o que também a tarimbou como uma das primeiras fotojornalistas da história, muito antes do termo ser cunhado. Austen buscava fotos sem muita pose ou produção, prezando pelo realismo nas cenas que retratava.

Gertrude Käsebier


Pioneira fotógrafa americana do fim do século XIX. Suas imagens de mulheres e crianças figuravam em grandes exposições e em 1889 conseguiu a façanha de vender uma imagem por 100 dólares, o preço mais alto pago até então e um recorde mantido por quase 50 anos. Muitas de suas imagens mais famosas eram fora de foco no estilo dos amadores que seguiam o movimento pictorialista, muitas vezes manipulando negativos e papéis fotográficos para alcançar o efeito desejado.

Berenice Abbott


Fotógrafa americana conhecida por documentar Nova York em uma época em que a cidade se modernizava e ganhava seus primeiros arranha-céus. Nascida no final do século XIX, Abbott se mudou para Paris para estudar escultura e lá ficou muito conhecida por seus retratos. Foi na capital francesa que conheceu o fotógrafo Eugene Atget, um dos mais importantes dos séculos XIX e XX, célebre por fotografar ruas vazias.

Ruth Gruber


Ruth Gruber é a fotojornalista responsável por registrar as primeiras fotografias coloridas do Alasca na década de 1930. Ela fotografou a fronteira do Ártico com um olhar para o papel das mulheres no desenvolvimento das cidades e os costumes da população nativa. Foi também responsável pelos registros surpreendentes da viagem do Exodus, navio que partiu da França em 1947 com objetivo de levar mais de 4,5 mil judeus a Haifa, mas foi interceptado por forças britânicas.

Julia Margaret Cameron


Julia Cameron começou sua carreira como fotógrafa aos 48 anos na década de 1860 quando ganhou sua primeira câmera de sua filha e genro. Mulher religiosa, Cameron concentrou seus esforços em temas literários e bíblicos, produzindo imagens sem precedentes em seu tempo e está entre as mais admiradas da fotografia vitoriana. Mesmo começando tarde, ela fez retratos de grandes personalidades da época, entre eles o cientista Charles Darwin.

Helen Levitt


Marcou época fotografando cenas cotidianas em bairros pobres de Nova York nas décadas de 1940 com a sua câmera Leica. Foi muita ativa no mundo do cinema, trabalhando principalmente em documentários, e a partir dos anos 1960 voltou novamente sua atenção para a fotografia de rua. Muitas das suas imagens desse período foram perdidas em um assalto ao seu apartamento em 1970.

Dorothea Lange


A fotógrafa americana Dorothea Lange tinha um estúdio de sucesso em São Francisco mas a Grande Depressão americana nos anos 1930 mudou seus planos. Ela se voltou para a fotografia de rua e percorreu mais de 20 estados do país registrando a pobreza que invadia o interior junto à equipe da Farm Security Administration, um órgão criado pelo governo para ajudar a população de áreas rurais naquela época. A sua imagem “Mãe Imigrante”, de 1936, figura frequentemente nas listas das fotografias mais importantes da história.

Ilse Bing


Conhecida como a “Rainha da Leica”, essa alemã foi uma das primeiras a usar a câmera que depois ficou famosa nas mãos de fotojornalistas pelo mundo. Bing começou a fotografar para ilustrar a sua tese de doutorado em arquitetura, mas logo encontrou uma paixão e ficou famosa por registrar eventos do cotidiano e retratos de crianças, o que se tornou a sua especialidade.

Margareth Bourke-White


Margareth Bourke-White foi pioneira em muitos sentidos. Uma das fundadoras da histórica revista Life em 1936 (e autora da foto de capa da primeira edição), também foi a primeira repórter fotográfica da revista Fortune, e a primeira estrangeira a quem foi dada permissão para fotografar em território soviético na década de 1930. Na Segunda Guerra Mundial foi a primeira mulher a trabalhar como correspondente em zonas de combate.

Imogen Cunningham


Imogen Cunningan está entre os mais importantes fotógrafos do século XX. Após se formar em química e trabalhar para o fotógrafo Edward Curtis, Cunningham se tornou uma das primeiras mulheres a abrir seu próprio estúdio em 1910. Foi contratada pela revista Vanity Fair para fotografar celebridades e figuras políticas da época e ficou muito conhecida por seus retratos florais e por ter clicado algumas das mais memoráveis imagens da artista Frida Kahlo.
Link para o blog: www.albertodesampaio.com.br